domingo, 28 de agosto de 2011

Dando tudo na faculdade da vida

É incrível como a gente muda depois de entrar para faculdade. Acabo de me mudar para Florianópolis, nascida e criada no interior de Minas gerais, só conhecia a praia por foto. Comecei meu curso de administração na UFSC no meio do ano, e além das técnicas e conteúdo das aulas, estou aprendendo a viver.
Eu que no máximo fazia umas besteirinhas com os peões da fazenda do meu pai, na primeira semana morando nesse paraíso que é floripa, fui convidada por uma colega aqui da república para ir a uma festa dos veteranos. Com tantos homens bonitos e mais velhos, sem camisa dando atenção para gente entre em uma brincadeira, um jogo de truco onde apostávamos nossas roupas, era sempre um grupo de meninas, contra uma equipe masculina.
 Já tínhamos perdido algumas partidas e estávamos só de lingerie, quando perdemos mais uma, e para não ficarmos nuas, pedimos para pagar outra prenda. A minha foi beijar um rapaz que até hoje eu não sei nome. Achei que ia me dar bem e pagar a aposta com selinho, mas ele me puxou e engatamos em um beijo longo e molhado, os outros começaram outra partida que nós nem vimos.  O beijo foi tão envolvente, eu sentia a minha danadinha quente úmida. Quando abri os olhos o cara olhava para o meio das minhas pernas boquiaberto, um pouco sem graça olhei na mesma direção e vi que estava com a calcinha encharcada e por isso a peça branca estava totalmente transparente, ele percebeu meu incomodo e falou, “eles começaram outra sem a gente, pegando minha roupa, falou toma, vem que te mostro onde é o banheiro” o acompanhei, ele abriu uma porta e disse usa o meu, os outros estão bem sujos.


Entrei no quarto dele e ele entrou atrás, fechou a porta, e começou puxar conversa. Disse que eu estava linda e foi se aproximando, me beijou novamente e dessa vez deu pra perceber o pau dele duro me cutucando. Ele me beijava e passava a mão entre as minhas pernas e não tinha como negar que estava adorando, mesmo fazendo as besteirinhas com os peões do papai, nenhum deles tinha colocado a mão ali, o cara me sentiu tremendo e falou chupa meu pau forçando minha cabeça para baixo, meio sem saber o que fazer, fui puxando a cueca dele pra baixo e vi saltar uma serpente lá de dentro, notando meu susto, ele me beijou de novo ia me beijando, caminhando e passando a mão em minha perereca , quando me dei conta ele estava sentado na cama , forçando minha cabeça para baixo, eu completamente perdida em tantas coisas novas tomei coragem e coloquei a boca naquele pau comprido e fino, eu chupava o pau dele olhando nos olhos pra saber se ele estava gostando, já fazia um tempo que estava chupando o pau dele, e nada dele gozar, foi quando me lembrei das besteirinhas na fazenda, e comecei a bater punheta ao mesmo tempo em que chupava, segurava o pau dele com força e fazia movimentos para frente e para trás enquanto sugava, tentei sincronizar de modo que quando minha mão fosse para trás minha boca engolisse a pica dele. Não demorou muito e jorrou na minha boca, no meu rosto, no meu cabelo um liquido quente de aparência gosmenta, e gosto ácido que apesar da aparência e do cheiro um pouco ácido agradou meu paladar de tal modo que coloquei o pau dele na boca de novo e só tirei com estava todo limpo. Ele me deixou tomar banho no quarto dele, depois fui embora sem ao menos saber o nome dele, a única coisa que sei é que ele vai se formar em jornalismo em junho de 2012.






Bem mas o que quero contar a vocês é que experimentar me deu a oportunidade de gostar de coisas das quais eu dizia ter nojo.
Desde os 16 anos que eu dava um jeito de beijar, de trocar uns amasso, ver ou bater uma punheta para os peões da fazendo do meu pai lá em Minas, mas embora me considere bem dadinha e danadinha, nunca tinha curtido algo tão bom como sexo com uma mulher.
Tenho um metro e sessenta e cinco, sou baixinha, 50 kg, morena de cor e cabelos negros, meus seios são pequenos, mas adoro o bico deles, pontudinhos e a minha bunda é o que mais gosto, pois ela é firme e bem redondinha.
Depois da festa de calouros que acabei de contar, conheci as outras moças da república e eu ia dividir o quarto com uma veterana, loira, pele rosada, olhos claros, seios fartos que a principio não me chamaram muito atenção. Mas na mesma noite em que a conheci, quando fomos dormir, começamos uma conversa sobre sexo, ela me contou que durante a faculdade vinha aprendendo uma serie de posições e técnicas para deixar os homens loucos. Fiquei curiosa e comecei perguntas, e ela me falou que para deixar os homens loucos por você na cama, o principal é conhecer o seu próprio corpo, e que ela poderia me ajudar.
E eu disse que aceitava, ela me pediu para não ficar assustada, e foi explicando a gente vai tocar uma à outra pra dar tesão uma à outra, ele abriu uma gaveta onde tinha varias picas de plástico me pediu pra tirar a calcinha, olhou minha danadinha e escolheu um preto, grandão, e falou essa sua deve ser gulosa, e começou me masturbar com aquele objetivo, quando estava louca para gozar ela tirou o vibrador de dentro de mim , e falou limpa, eu o lambi inteiro, imaginando a pica do futuro jornalista, estava adorando a aula, então ela tirou a blusa e falou. Chupa aqui, fiquei receosa, mas ela disse que ninguém ia ficar sabendo, e estava tão excitada depois de sentir o vribrador que topei, cai de boca nos peitões dela, ao mesmo tempo em que ela puxava meus cabelos e gritava mama safada!, Ela me empurrou para cama, e arreganhou minhas pernas,passou a língua em minha danadinha, e deu uma chupada no meu grelo gordinho, e de uma vez só escorregou a língua para dentro, ele enfiava a língua fundo, e sabia que estava gostando, pois era irresistível eu arreganhava ainda mais a perseguida para ela, gemendo, eu pedi para parar, ela levantou olhou nos meus olhos disse não!, Adorei essa bucetinha se deitou em cima de mim, colocou a bunda grande e branquinha dela quase no meu rosto e continuou me comendo com a língua, alcancei o vibrador negão e meio que gemendo disse, então toma! Comecei fuder o cu dela com o vibrador , e quando mais eu enfiava nela mas ela enfiava a língua. Eu gozei gemendo bem safada como se tivesse um homem chupando meu grelinho, e ela que adora tomar no cu também se divertiu.
A experiência foi tão gostosa que a gente não passa mais vontade, agora nós duas temos namorado, e às vezes eu levo o meu para comer nós duas e para ver a gente se fudendo. O namorado dela ainda não sabe... mas estamos loucas para pegar ele de surpresa.
By mineirinha safada

Nenhum comentário:

Postar um comentário